MC

Help me if you can, I’m feeling down | @Nikolas x @Paul

Estar em ambiente público o deixava extremamente nervoso. Principalmente sem a presença de Morgan. Não sabia ao certo porque fora a biblioteca da cidade. Uma tentativa inútil de sair de casa sozinho? Principalmente por aquele dia o local estar extremamente cheio. De certo pela proximidade de provas finais de muitos e tentarem recuperar qualquer nota que fosse. A cada aproximação brusca nos corredores ficava na defensiva. E tinha de respirar fundo para conseguir se controlar. Exatamente como Bayram ensinara. As mãos suavam nervosamente. Agarrava-se ao livro que tinha em mãos. A cada passo para sair daquele corredor sufocante parecia deixa-lo mais longe da saída.

O ar parecia não entrar em seus pulmões, por mais que respirasse fundo. Levou as mãos tremulas ao bolso. Só então percebendo que esquecera o celular em casa. Uma chance em mil. Quando finalmente decidira seguir o conselho do psiquiatra para misturar-se, esquecia seu único meio de chama-lo em cima da cama. Quais eram as chances? Encostou-se a uma estante qualquer e distrai-se com os pensamentos. Lembrou-se das conversas com o amigo e como agir em momentos de urgência. A voz dele o fez se acalmar o suficiente para que conseguisse  chegar a uma parte de mesas da biblioteca.

Examinou a área tentando achar alguma mesa vazia e se decepcionou. Voltou a cabeça para a longa fila para alugar livros. Mal chegou a pensar na ideia. Ir embora sem o livro não era nada agradável. Não queria voltar para o corredor apertado onde quase surtara. Passou a andar entre as mesas, tentando não esbarrar em nada e em ninguém.  No canto mais escondido da biblioteca encontrou uma mesa onde só um homem estava sentado. Disse a si mesmo que não corria perigo algum em meio a tantas pessoas sóbrias. E não tinha modo algum de ligar o homem a qualquer um dos agressores daquela noite.  Apesar de muito esforço, conseguiu parar em frente do rapaz “Posso… Posso me sentar aqui?

Dec-03
- 14:26

thesongofourlivesrp:

"Stranger in a strange land, land of ice and snow, trapped inside this prison! Lost and far from home."

N.B. + 23 + Stranger in a Stranger Land - Iron Man

Bio:

Natural de Amsterdã, desde que podia se lembrar, sempre fora taxado como o esquisito da turma. Por nove anos vivera em um orfanato e tudo o que sabia era seu nome e o sua data de nascimento, fora isso nada mais fora deixado. Não chegou a criar rancor algum pela família. A mente avançada para uma criança o fez acreditar que tudo o que acontecia tinha um motivo. E preferia viver naquele lugar a ser maltratado por pessoas que não o desejavam. Poucas semanas antes de completar dez anos, uma família o adotou, mas nem mesmo lá teve uma vida feliz. Os filhos biológicos do casal o excluíam de tudo, faziam brincadeiras estupidas com o garoto e o apelidavam de diversas coisas. Tentava ignorar a maioria dessas coisas, sabia que quanto mais se importasse mais eles iriam fazer.

Alguns anos depois outro casal bateu à porta da família, alegando serem pais dele. Diversos processos foram feitos antes de ir morar com os pais biológicos. Sentiu-se extremamente aliviado por não ter de conviver com os meios-irmãos fúteis. Sem estar acostumado com o luxo, demorou a aprender cada costume dos mais ricos. Como comer, como vestir-se para cada ocasião. Cada evento a qual ia lhe parecia uma tortura. Não demorou muito para o colocarem em uma das melhores escolas particulares da cidade. Embora isso o tenha prejudicado extremamente, não conseguia criar relação alguma com ninguém. E demorou meses até adaptar-se. Por ser quieto e dar o melhor de si nas aulas, sofria bullying e quase sempre chegava com machucados em casa.

Quando o ano da formatura chegou, fora convidado a uma festa. Não se sentiu nem um pouco confortável em ir, mas a mãe insistiu para se socializar. Após a festa tornou-se um garoto completamente diferente, o que quer que tenha ocorrido lá, os pais nunca descobriram. Tornou-se explosivo e fora parar na diretoria diversas vezes por brigar na escola. A raiva era soberana e só se tornava gentil na presença de Morgan Wentz, garota que conhecera durante a festa e o ajudara, ou quando estava tocando sua bateria. Os pais o obrigaram a frequentar um psiquiatra, única pessoa a quem confiara seu segredo além de Morgan. As sessões ajudavam a se tranquilizar um pouco. Mas se o assunto voltava era instantaneamente que sua raiva explodia novamente. Formou-se na escola com louvor e logo fora aceito para cursar Engenharia Mecânica ao lado de sua única amiga.

Certa vez, andando pelas ruas de Amsterdã, avistara um dos antigos colegas de classe que estivera naquela festa. No mesmo momento seu rosto tomou uma coloração avermelhada. A raiva explodiu completamente. Esqueceu-se de onde estava e de todas as sessões com seu psicólogo. Nada mais importava naquele momento. Atirou seu corpo contra o do outro, derrubando-o instantaneamente. Socos foram distribuídos, vira a vida do homem acabar sob seu corpo. E não parou de bater até sentir mãos fortes o puxando para cima. Fora julgado e devido ao acompanhamento psiquiátrico fora decretado que deveria tomar remédios fortes e passar por consulta psiquiátrica duas vezes por semana.

 He’s been up to:

Deixar o colégio fora um grande alívio. Mas nunca mais voltara a ser o mesmo. Passou a dividir um quarto com Morgan e nutria uma paixão secreta por ela. E só ela era capaz de afastá-lo dos livros para acompanha-la em alguma noite de diversões. Leva a faculdade como pode, sempre mantendo as notas estáveis. Prosseguiu com as sessões com o psicólogo, e se esforçava para não explodir. Mas tudo ainda era muito difícil, mesmo com tantos anos tendo se passado.  Algo que não chegara nem mesmo a confessar a Morgan, era os pesadelos que tivera desde o acontecido. Fechava os olhos e via a cena rolando em sua cabeça. Exatamente como acontecera. Nunca mais chegou a pisar em uma festa como aquela. Estremecia de medo só de imaginar algo como aquilo acontecendo mais uma vez.  

Nunca chegou a sentir culpa pela morte que causara. Dizia a si mesmo que o outro merecia muito mais do que o sofrimento de alguns poucos minutos. Pudera parar com as diversas pílulas que tomava alguns meses antes. O psiquiatra alegava que estava sob controle e que o que acontecera anos atrás não passara de um surto psicótico.

Relações:

Morgan Wentz

Morgan fora a garota que o salvara na noite da festa. Que cuidara dele e que se tornara sua melhor amiga. Possui uma grande afeição por ele, embora só o veja como um irmão. Nikolas faria qualquer coisa por ela. Defende-a com unhas e dentes de qualquer um que tente se aproximar dela. Muitas vezes exagerando e se tornando inconveniente, principalmente quando o assunto é algum outro garoto. Passam a maior parte do tempo juntos, seja estudando ou tomando um sorvete em qualquer lugar por ai.

Bayram Nollen

Seu psiquiatra e salvador de anos na prisão seguida de sentença de morte. Se não fosse por ele, já teria surtado muito antes e talvez houvesse machucado os pais ou Harriet. Nikolas passou a considera-lo um grande amigo e salvador. O mais velho é como um pai para ele. Confessa praticamente tudo para ele, desde a paixão pela melhor amiga, até a raiva que sente por cada um dos garotos da festa. Tudo o que não diz aos pais, cada mínima mágoa é extravasada ali. Em simples conversas de quarenta e cinco minutos.

FC: Dylan O’Brien + he is CLOSED (oc)